quinta-feira, 14 de agosto de 2014

O Diário de Valdisney Elias - Sexta Página

“Mano eu tenho mó raiva desses muleques da escola! Eles vivem mexendo comigo, tudo uns troxas. To com mais raiva ainda é do muleque novo, o gringo. O nome dele é Mike, mais eu chamo ele de Mickey, pra zua ele, porque eu acho que ele é um rato. Eu odeio ele, ele é muito metido e se acha, mas todo mundo acha que ele é foda, eu não acho. O Mickey é um bostinha, todo mundo curte ele só porque ele é gringo, as minas ficam pagando pau pra ele. Nem to nem ai, um dia os muleque vai pegar ele, quero ve."

O Diário de Valdisney Elias - Quinta Página



“Hoje veio em casa o namorado novo da tia Branca, o Douglas. Minha tia chama ele de Dunha mas eu não sei por que, vou pergunta pra ela. O Dunha é um cara baxinho e careca, mas não tem barba que nem o Messi e os outros namorado da tia Branca e o mais loco é que ele quase nem fala. Nem ouvi a voz dele direito hoje quando ele falou alguma coisa porque ele falou bem baixinho. 'Brigado dona Isabela', ele falou pra minha mãe, mas o resto eu nem ouvi. Nem parece nada com o último namorado da tia Branca, o nome dele era Félix, e ele falava pra cacete o dia inteiro o tempo todo, mas eu gostava dele. O Félix era coveiro, trabalhava no cemitério, imagina só! Vivia fazendo piada e zuando os outros. Ele era mais legal que o Dunha, eu vou falar isso pra minha tia.”

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O Diário de Valdisney Elias - Quarta Página (fragmento)



“EU ODEIO O MEU PAI! ELE ME BATE E BATE NA MINHA IRMÃ TODO DIA E EU NUM AGUENTO MAIS! EU QUERIA SER POLICIA E TER UMA ARMA PRA...”

O Diário de Valdisney Elias - Terceira Página



“Hoje eu dei um rolê com o meu primo Hugo, filho do meu tio Paker que todo mundo chama de Pakinha. Ele é rico e ele tem vários carros e é vereador. Todo ano meu tio Pakinha tem um carro novo, várias máquina potente, ele teve até Ferrari. E a casa dele é mó grande, deve dar umas 10 da minha casa, ou até maior. Lá com ele mora o meu primo Hugo e os irmãos dele, tudo meus primo, o Luiz e o José. Eles não têm mãe não. Eu ouvi um dia minha mãe dizer que eles são adotados, que eles eram tipo menino de rua e meu tio pegou eles pra ser filho dele. Meu tio Pakinha é gente boa, eu curto ele e ele levou a gente hoje no cinema, mas minha irmã não quis ir com a gente, ela tava com muito sono e foi dormir. E depois meu tio comprou pro Hugo um jogo novo de Play 2, dai a gente jogou na casa dele. Num lembro o nome do jogo, mas era de tiro. Eu ganhei do Hugo várias vez, sou fóda!”

domingo, 3 de agosto de 2014

O Diário de Valdisney Elias - Segunda Página


“Hoje eu mostrei meu diário pra minha mãe. Ela disse que eu era besta de ficar escrevendo essas coisa e deveria estuda pra ser adevogado, pra tira meu irmão da cadeia. Meu irmão é o Robinson, os maluco aqui da rua chama ele de Robin, tipo o amigo da Batman. Ele foi preso porque tava robando uma loja mas ele num é bandido não, ele dava dinhero pra minha mãe compra umas coisa no mercado e pra minha tia Branca ir no cabelelero. Ele também trazia vários brinquedo pra mim e pra minha irmã. Eu gosto do meu irmão e não queria que ele tivesse na cadeia. Amanhã a gente visita ele na cadeia, todo sábado a gente vai lá com a minha mãe. Ele foi preso com os mano dele, o Joãozinho, e otros maluco aqui da rua já faz mais de mês. Nem é primera vez que acontece isso, já é a tercera vez já e ele ainda continua robando e a policia pega ele sempre.”

sábado, 2 de agosto de 2014

O Diário de Valdisney Elias - Primeira Página



Meu nome é Valdisney Elias eu tenho 12 anos e eu queria escreve todas as coisa que aconteceram comigo desde que eu era criança, mas eu não lembro. Então eu vo escreve a coisa mais antiga que eu lembro, que foi quando a minha tia Branca levou o namorado dela lá em casa, o Messi. Esse foi o primero namorado da tia Branca que eu conheci e depois dele teve mais seis diferente. O Messi era o açoguero aqui da rua, era uruguaio e falava daquele jeito engraçado que eles falam lá e era também um cara muito gente boa. Eu gostava dele, mas a tia Branca brigou com ele quando eu era pequeno e é esse dia que eu lembro, o dia em que eles brigaram lá em casa. Depois daquele dia o Messi ia em casa procura a tia mas ela se escondia dele, a gente falava pra ele que ela não tava em casa, mas eu conversava com ele. Ele ainda trabalhava aqui no açogue até o ontem, mas ai ele sumiu e ninguém sabe como. Tem gente que falando que ele tinha dívida de droga. Nadavê. Meu pai não gostava do Messi, e acho que ele não gosta de mais ninguém também, nem de mim, nem da minha irmã, nem da minha tia, só da minha mãe. Nem do irmão dele ele gostava, o tio Paker, porque ele é rico. E no dia que minha tia brigou com o Messi meu pai colocou os dois pra fora de casa na porrada, desceu o cacete neles. O Messi nem ficou com medo do meu pai e voltou lá todo dia.”